Veja minha participação no Jornal da Gazeta

December 9, 2016 |

Televisão

Silvio Santos é o mais longevo comunicador da TV brasileira. São mais de 50 anos no ar. Continua firme e forte, aos 86 anos. E acaba de ganhar uma exposição sobre sua trajetória, em cartaz no Museu da Imagem e do Som. Dividida em 30 áreas, a mostra “Sílvio Santos vem aí!” reúne 400 itens, entre objetos, fotos e vídeos, sobre a carreira do empresário e apresentador, e sobre a evolução dos sistemas de rádio e TV no período. A curadoria é de André Sturm, diretor do museu e futuro secretário municipal da Cultura. Os cenários da exposição são interativos: os visitantes podem adivinhar canções em “Qual É a Música?” e girar a roleta no “Roletrando” como se estivessem nos programas. E podem concorrer a ingressos gratuitos e um premio surpresa, respondendo à pergunta “Como Silvio Santos marcou sua vida?”, por carta, até 6 de março. As cartas irão integrar uma área da mostra dedicada ao programa “Porta da Esperança”.
O MASP apresenta a partir de hoje uma exposição sobre a obra de Agostinho Batista de Freitas, um pintor naif que se inspirou na cidade de São Paulo. Agostinho foi descoberto pelo professor Pietro Maria Bardi, então diretor do MASP, nos anos 50, expondo na rua no centro da cidade. Em 1966, representou o Brasil na Bienal de Veneza, ao lado de nomes consagrados. Agora, quase 20 anos depois de sua morte, são apresentadas mais de 300 pinturas suas, dos anos 50 aos 90, de cerca de 50 coleções, além de documentos, fotos e croquis.
E o Teatro Municipal de São Paulo, apesar da profunda crise administrativa que atravessa, colocou em cena a última ópera de sua temporada lírica deste ano. Trata-se de uma montagem inédita da Fosca de Carlos Gomes. Toda a criação do espetáculo é do italiano Stefano Poda. Eduardo Strausser rege a Sinfônica e o Coro Municipal, e os solistas, a alemã Nadja Michael e a italiana Chiara Taigi, que se revezam como Fosca, o barítono italiano Marco Vratogna, como Cambro, e o tenor paulista Tiago Arancam, como Paolo. Mais cinco récitas até o dia 17. Boa Noite.





Veja minha participação no Jornal da Gazeta

December 2, 2016 |

Televisão

Uma combinação de música clássica e teatro norteia a montagem “Jaqueline”, que estreia hoje no Sesc Consolação. O texto e a direção são de Rafael Gomes. A peça concerto foi escrita e é encenada sobre o “Concerto Para Violoncelo e Orquestra”, do inglês Edward Elgar. A obra ficou atrelada à personagem principal do espetáculo, a violoncelista britânica Jacqueline Du Pré, um talento genial abatido pela esclerose múltipla.
E o violino é o destaque da apresentação desta semana da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo. Com direção de Celso Antunes e solo da alemã Carolin Widmann, a Osesp apresenta o concerto para violino de Alban Berg. Stravinsky e Rachmaninov competam o programa. Hoje à noite e amanhã à tarde, na Sala São Paulo.
O Itaú Cultural faz um convite, a partir desta noite, a revisitar os anos 80. Será inaugurada a exposição “Varela Upload, o repórter da ficção”, sobre o personagem Ernesto Varela, que consagrou o multimídia Marcelo Tass. Fizeram história suas perguntas ácidas e diretas, a personalidades então intocáveis, especialmente da política nacional, numa época em que o Brasil redescobria a democracia. A mostra resgata as entrevistas gravadas nos anos 80, que somam cerca de 80 audiovisuais, mais cadernos de anotações com detalhes de viagens e de pautas, acessórios usados por Varela, fotos de bastidores. Além da câmera da produtora Olhar Eletrônico, que era manipulada pelo hoje badalado cineasta Fernando Meirelles, fazendo as vezes do câmera Waldeci. Boa noite.