Veja minha participação no Jornal da Gazeta

August 1, 2014 |

Televisão

O dramaturgo paulista Sergio Roveri se propôs um problemão: escrever sobre Marilyn Monroe sem repetir tudo o que já foi dito, escrito, filmado ou encenado sobre ela, até por um ex-marido, o célebre autor dramático americano Arthur Miller. Mas partiu de uma premissa inédita: revisitar Marilyn em seu último dia de vida, num acerto de contas entre o mito e a mulher, Norma Jean, seu nome de batismo, que chega para cobrar uma vida roubada. Roveri inova também ao entregar estes papéis não a uma ou duas, mas a três atrizes. Elas interpretam não só Marilyn, mas muitas pessoas com quem ela conviveu, incluído aí o ex-presidente americano John Kennedy. O enfoque é diferente. Mas é claro que o entusiasmo pela personagem, seja no autor, no diretor José Roberto Jardim, nas atrizes Bia Borin, Débora Vivan e Priscila Oliveira é o de fãs, fascinados pelo mito. Sem problemas. Quem vai ver Marilyn, pela enésima vez, procurando uma nova maneira de olhá-la, também é. Eu vou. A estreia de Tempos de Marilyn é no dia 5 de agosto, data de sua morte há 52 anos, na Sala Piscina do Viga Espaço Cênico, em Pinheiros. Outra novidade nos palcos paulistas é o espetáculo Submarino, texto de Leo Moreira com direção de Pedro Granato. A trama acontece dentro de uma piscina onde um bando de adolescentes se encontra para praticar natação.
Uma morte acontece e abala a relação do grupo, que tem de lidar com a perplexidade, a digestão e a superação desta ausência. Em cena, oito jovens atores formados pela Escola Superior de Artes Célia Helena em produção do Teatro Pequeno Ato. A estreia é amanhã no Teatro Cultura Inglesa, também em Pinheiros. E a temporada é bem curta. Portanto corram.
Boa Noite.