Veja minha participação no Jornal da Gazeta

June 2, 2017 |

Televisão

O maestro e compositor Rogério Duprat foi uma das figuras fundamentais do Movimento Música Nova e do Tropicalismo, nos anos 60. Genial, inovador, irreverente, ele arrombou portas para a música brasileira. Está morto há mais de uma década. Pois não é que acharam, esquecida numa gaveta há uns 50 anos, uma partitura sua inédita? Trata-se de Antinomies I, considerada uma das primeiras experiências de escrita musical grafista no Brasil. Foi composta em 1962, perdida pelo autor num metrô na Europa, e reescrita em 1966 com possível influência de John Cage. A peça terá sua estréia mundial hoje no Auditório Ibirapuera. A façanha deve-se ao projeto do músico Itamar Vidal, selecionado pelo Rumos Itaú Cultural edição 2015-2016. O espetáculo é comandado por músicos da OSESP, Jazz Sinfônica e Banda Mantiqueira e amplia a intenção multimídia do compositor. Terá projeções em tempo real, e desenhos do ex-Mutante Arnaldo Baptista, que colaborou com Duprat por muito tempo.
E um elenco de exposições de artistas brasileiros modernistas e modernos, da maior importância, chega a galerias paulistas. A obra de Vicente do Rego Monteiro será revisitada a partir de amanhã na Galeria Almeida e Dale. São 38 telas de diferentes períodos, de inspiração marcadamente art decô, que comprovam a importância do pernambucano nos alicerces do modernismo. No próximo dia 8 é a vez de Victor Brecheret, outro grande nome do movimento, ser homenageado na Dan Galeria. São 46 peças, entre esculturas e desenhos, das primeiras décadas do século passado. Entre os mais modernos, Frans Krajcberg ganha mostra na Galeria Frente. Vai das pinturas figurativas dos anos 50 a suas esculturas de materiais orgânicos pigmentados. A carioca Maria Leontina é destaque na galeria Bergamin e Gomide. Falecida há mais de 30 anos, deixou uma obra que viajou entre a figuração, a abstração e a geometria, anunciando o contemporâneo. Finalmente, Iole de Freitas abre mostra amanhã de trabalhos recentes na Galeria Raquel Arnaud. São grandes esculturas em aço. Iole, que cresceu alimentada pelo concretismo, desembarcou direto no contemporâneo.
Boa Noite.