Veja minha participação no Jornal da Gazeta

October 21, 2016 |

Televisão

O Sesc Pompeia recebe, neste fim de semana, o rito “Bacantes”, do Teatro Oficina, em comemoração aos 20 anos de sua primeira apresentação. O espetáculo, inspirado na obra original de Eurípedes, traz temas sociopolíticos da atualidade e é uma das produções mais relevantes da Uzyna Uzona, a mítica companhia do também mítico José Celso Martinez Corrêa. Com duração aproximada de 6 horas, e peça é proibida para menores de 18 anos,mesmo acompanhados dos pais. Interessante notar que o espetáculo foi criado para o espaço do Oficina, projeto de Lina Bo Bardi, e será apresentado agora em outro espaço de autoria da arquiteta italiana.
O Coro da Rádio de Berlim e a Orquestra Arte del Mondo encerram, na segunda e na terça, a temporada 2016 do Mozarteum Brasileiro, com apresentações na Sala São Paulo. No repertório, os grupos interpretam peças de Brahms, Mozart, Strauss e Mahler. O coro é um dos mais famosos do mundo, com mais de 90 anos de existência. Tem 63 cantores permanentes e faz como 60 concertos por ano. Recebeu inúmeros prêmios, incluindo três Grammys. Atualmente, o holandês Gijs Leenaars é seu regente e diretor artístico. Já a Orquestra Arte del Mondo foi criada em 2004 por seu diretor artístico, Werner Ehrhardt, e é composta por 53 músicos. Ou seja, um palco cheio.
E na Zipper Galeria, o artista plástico libanês radicado aqui, Camille Kachani, apresenta a mostra “Encyclopaedia Privata”. A exposição reúne séries inéditas de esculturas, fotografias e desenhos. Os trabalhos se relacionam com a sequência de deslocamentos e migrações vivida pelo artista. Nas esculturas, os elementos se acumulam uns sobre os outros, criam raízes e se transformam em terreno fértil para o surgimento de estruturas orgânicas. É bem interessante. Boa Noite.




Veja minha participação no Jornal da Gazeta

October 14, 2016 |

Televisão

O artista plástico Tunga, um dos maiores nomes da arte contemporânea nacional, que morreu em junho passado, deixou pronta aquela que seria sua última exposição. A Galeria Millan, que o representava, abre amanhã seus dois espaços na Vila Madalena, para apresentar esta produção inédita. Na sede, mostra os Phanógrafos, derivados da série Cooking Crystals, de 2010. E no Anexo, será exposta a série das Morfológicas, esculturas que remetem ao corpo, sensuais e surreais.
Em contraste, o Museu de Arte Sacra de São Paulo apresenta exposição com 85 esculturas de Mirtis Moraes, inspiradas nas limitações impostas pela matéria ao espírito. A curadoria é de Beatriz Vicente de Azevedo.
No teatro, boas estreias nos palcos paulistanos neste fim de semana. O grupo Folias apresenta seu novo espetáculo, “Solidão”, no Sesc Santana. O texto é de Sergio Roveri e a direção, de Marco Antonio Rodrigues. Com inspiração no realismo mágico e na história política recente do continente, o Folias recria uma América Latina mágica e dolorida.
No Teatro Popular do Sesi, Ricardo Gelli e Maria Fernanda Candido vivem Troilo e Créssida no drama de Shakespeare sobre a Guerra de Tróia, dirigido por Jô Soares. O elenco ainda tem Tuna Dwek, Adriane Galisteu, Marco Antonio Pamio, Otávio Martins e mais dez atores. A entrada para a peça é gratuita, mas os ingressos devem ser reservados pelo site do Sesi.
Na Sala São Paulo, o pianista Nelson Freire toca o concerto em lá menor para piano de Schumann, acompanhado da Orquestra Tonhalle de Zurique, neste domingo e na próxima terça-feira. A regência é do jovem francês Lionel Bringuier. A orquestra ainda toca Shostakovich no domingo e Mahler na terça. Aproveitem. Boa Noite.