Veja minha participação no Jornal da Gazeta

July 1, 2016 |

Televisão

Mais um texto de Shakespeare é encenado em São Paulo. A peça Troilo e Créssida, escrita pelo dramaturgo inglês provavelmente em 1602, logo depois de completar Hamlet, é inédita no Brasil. A montagem da Companhia da Matilde estreia na segunda-feira no teatro Sergio Cardoso. Definida como comédia-conflito e permeada por uma história de amor, ela na verdade versa sobre ética, política, poder, conspiração, traição e corrupção. Ou seja, nada mais atual. A peça apresenta uma linguagem inspirada em máscaras (principalmente a de bufão) porque os personagens são identidades notórias, que permeiam a história da humanidade e podem facilmente ser reconhecidas hoje em nosso país. A direção é de Bete Dorgam.
Outro texto teatral inédito no Brasil está em cartaz no teatro Aliança Francesa. Trata-se de “O homem do Destino”, do escritor irlandês George Bernard Shaw. A trama tem como pano de fundo a batalha de Lodi, na Itália, em 1796, envolvendo Napoleão Bonaparte. Com direção a cineasta Caroline Fioratti, a montagem traz no elenco Patrícia Pichamone, Sergio Mastropasqua e Thiago Ledier. No dia 14 de julho, data nacional na França, o espetáculo terá apresentação comemorativa e gratuita. A temporada vai até 7 de agosto.
A Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, regida por Marin Alsop, abre amanhã a 47ª edição do Festival de Inverno de Campos do Jordão, no Auditório Claudio Santoro. A Osesp mostrará um programa especial, tendo a violinista nipo canadense Karen Gomyo e o violoncelista suíço Christian Poltera como solistas do concerto para violino e violoncelo de Brahms. Por sinal o violoncelo será o instrumento de destaque da programação. Outros destaques internacionais do festival são o maestro estoiano Ervo Volmer e o maestro costa-riquenho Giancarlo Guerrero, o celista holandês Pieter Wispelwey e o quarteto de cordas francês Diotima. Como sempre o foco principal do festival será pedagógico, recebendo bolsistas do Brasil e do exterior, que se apresentam no final como orquestra. Boa noite.