Veja minha participação no Jornal da Gazeta

May 20, 2016 |

Televisão

A oferta cultural dos próximos dias é impressionante, com estreias de teatro, boa música erudita, e muita atração programada pela Virada Cultural, a ser realizada entre hoje e domingo pela Prefeitura. Mas o maior destaque, sem dúvida, fica por conta da mega exposição da obra de Pablo Picasso, que o Instituto Tomie Ohtake abre amanhã. Trata-se da maior mostra de Picasso já realizada em São Paulo, com 116 trabalhos do acervo do Museu Picasso de Paris, e que percorrem toda a vida do gênio catalão. Além de fotos e filmes sobre ele.
Outro destaque das visuais é o documentário sobre a jornada espiritual da artista sérvia Marina Abramovic, um dos nomes mais respeitados do circuito internacional, que andou por vários cantos do Brasil, assistindo a cirurgias espirituais, rituais xamânicos, visitando igrejas, terreiros de candomblé, grutas, cachoeiras e minas de cristal, em busca de poder de cura e inspiração para sua arte. O documentário é dirigido pelo brasileiro Marco del Fiol. E está em cartaz nos cinemas…
A virada cultural deste ano começa hoje em dez pontos entre a Avenida Ipiranga e a Praça da Sé, enquanto vários teatros da região central farão apresentações gratuitas de seus espetáculos. Até domingo, no Municipal, no Arouche, na praça Julio Prestes e sobretudo nas periferias, serão 700 atrações. Toda a programação está em viradacultural.prefeitura.sp.gov.br.
A Sinfônica de Bamberg chega para duas apresentações gratuitas, no fim de semana, no Auditório Ibirapuera. E para dois concertos, segunda e terça, na Sala São Paulo, para assinantes do Mozarteum e público pagante. No programa, Mozart, Beethoven e Gershwin.
Finalmente, o novo texto teatral de Maria Adelaide Amaral estreou ontem, inaugurando o teatro do MorumbiShopping. Para Tão Longo Amor reúne no palco Regiane Alves e Leopoldo Pacheco, sob a direção de Yara de Novaes e Carlos Gradim. Trata-se da relação apaixonada de uma escritora jovem e um editor maduro, em vários momentos. O texto é dos anos 90, mas atemporal. E promete do riso às lágrimas. Boa Noite.