Veja minha participação no Jornal da Gazeta

April 7, 2017 |

Televisão

O filme “Num Lago Dourado”, de 1981, rendeu o Oscar de ator a Henry Fonda e o de atriz a Katharine Hepburn. Também serviu como acerto de contas entre o ator e Jane Fonda, pai e filha na tela e na vida, sobre sua conturbada relação. O texto de Ernest Thompson, originalmente uma peça teatral, ganha montagem brasileira dirigida por Elias Andreato. A estreia será neste domingo, no Teatro Renaissance, com a dupla central revivida por Ary Fontoura e Ana Lúcia Torre.
No Sesc Ipiranga, acontece amanhã a performance “O Leitor”, com o artista plástico Alexandre D’Angeli, que projetou uma mesa cujo tampo é uma caixa aberta onde estão depositados cem quilos de areia. Durante a performance, Alexandre enterra e desenterra livros, e le trechos das obras a cada dois minutos, marcados por um relógio de areia. A ação integra a exposição “Contaminações”.
Outra experiência inusitada para o público é a que oferece o espetáculo A Cidade dos Rios Invisíveis, do coletivo Estopô Balaio. Parte da encenação se desenrola dentro de um trem da CPTM, da linha 12, Safira, em direção ao Jardim Romano. O público, munido de fones de ouvido e MP3, observa as paisagens e ouve o texto. Desembarca em meio a intervenções de dança de rua, rap e performances, e é apresentado ao cotidiano dos moradores daquela região, com muitas histórias sobre os grafites e as enchentes que assolam o bairro. A montagem é a última parte da Trilogia das Águas, que desde 2012 narra histórias de enchentes. Os interessados devem estar às 14h de sábado ou domingo no Espaço Cultural da Estação do Brás. Só pagam a passagem. O espetáculo dura 3horas e meia e termina com o por do sol às margens do córrego Três Pontes. De amanhã até 30 de abril. Boa noite.