Veja minha participação no Jornal da Gazeta

June 19, 2015 |

Televisão

Começa às 18h de amanhã a 11ª edição da Virada Cultural de São Paulo. Desta vez, o evento ficará menos concentrado no Centro, e terá mais palcos em bairros e na periferia. Mesmo assim, os principais destaques da programação, como os cantores Fábio Jr. e Lenine, vão se apresentar no Palco Júlio Prestes, em frente à Estação, que deverá ser um dos mais disputados do evento. Será ali, também, que Caetano Veloso vai encerrar a programação da Virada, com show marcado para as 18h do domingo. Dentre as atrações, a Virada repete a feira gastronômica no Elevado Costa e Silva, a partir das 15h de sábado, com destaque para a já famosa Galinhada do chef Alex Atala. Além de shows, espetáculos musicais também preenchem a programação, como uma montagem sobre Rita Lee e o ator e cantor Tiago Abravanel, interpretando Tim Maia. Segundo a Prefeitura, o orçamento desta edição da festa ficou bem próximo ao do ano passado: R$ 14 milhões. Sendo que R$ 9 milhões são destinados ao cachê das 1.500 atrações, todas gratuitas.
A Osesp também participa da Virada. A orquestra paulista toca hoje e amanhã à noite e domingo de manhã, na Sala São Paulo, regida pelo dinamarquês Thomas Dausgaard,
com solo do pianista espanhol Javier Perianes, um programa que tem Nielsen, Ravel e Richard Strauss. A orquestra de Câmara da Osesp toca domingo à tarde na Sala São Paulo. E o Coral da Osesp canta domingo à tarde na Pinacoteca do Estado.
O Sesc tem intensa programação em todas as suas unidades da capital, com destaque para a grande exposição de Marcelo Nitsche, no Sesc Pompéia, e para as apresentações da companhia Teatro do Incendio, no Sesc Bom Retiro. E o Museu da Imigração, na Mooca, realiza no fim de semana a 20ª festa do imigrante, com expositores de alimentação e artesanato e shows de 40 diferentes nacionalidades. A programação completa está em viradacultural.prefeitura.sp.gov.br. Boa noite.






Veja minha participação no Jornal da Gazeta

June 12, 2015 |

Televisão

Cândido Portinari ganha uma exposição que revisita sua obra, na Galeria Almeida e Dale. São 35 pinturas, todas consideradas emblemáticas, escolhidas a dedo por Denise Mattar em fundações e coleções privadas de várias capitais. O foco da mostra surgiu de pesquisa da curadora sobre dois acontecimentos marcantes do Modernismo no Brasil: o 38º Salão de Belas-Artes, no Rio, em 1931, e a Exposição de Arte Moderna, de 1944, em Belo Horizonte. Portinari teve papel decisivo nos dois eventos, tornando-se protagonista da expansão do Modernismo no país. Na mostra, há várias obras que estiveram nas duas exposições históricas. A galeria e a curadora estão revisitando a arte moderna brasileira. Nos últimos tempos, montaram exposições de Volpi, Guignard e Willys de Castro. A mostra de Portinari abre na quinta feira e fica em cartaz até 15 de agosto.
A Parte, Feira de Arte Contemporânea, está em cartaz até domingo com uma edição especial e compacta no terceiro andar do Shopping Cidade Jardim. A Parte, no formato conhecido, acontece só em novembro. Nesta, estão reunidas apenas 13 galerias, quase todas de São Paulo. O foco é um garimpo de uma arte não obrigatoriamente feita por jovens, mas acessível aos novos colecionadores.
E foi anunciada a programação do Festival de Inverno de Campos do Jordão, o mais importante evento de música clássica da América Latina. A abertura oficial será no dia 4 de julho, com um concerto da Osesp e coro, sob regência de Marin Alsop. No programa, “Os Planetas”, de Holst. Dentre as 75 atrações deste ano, destaque para solistas convidados, como o trompetista venezuelano Pacho Flores e o clarinetista e maestro britânico Michael Collins. Além de conjuntos de câmara, como o Brodsky Quartet, de Londres e o Duo Assad. Por medida de contenção de verbas, todas as aulas e workshops dos bolsistas serão realizadas na Sala São Paulo, aqui na capital.
Boa Noite.