Veja minha participação no Jornal da Gazeta

June 5, 2015 |

Televisão

Não é porque estamos no meio de um feriado prolongado que a cidade não oferece novidades culturais. O teatro se aproveita disso e estréia espetáculos importantes. Um dos dramas clássicos do século 20, “Um Bonde Chamado Desejo”, de Tennessee Williams, estréia hoje em nova montagem, no Tucarena, dentro da programação que comemora os 50 anos do Tuca, o histórico teatro da Universidade Católica, em Perdizes. Maria Luiza Mendonça, Du Moscovis e Virginia Buckowski vivem um dos mais famosos triângulos do teatro moderno: Blanche, Kovalski e Stella. Tennessee Williams é um craque para lidar com as fragilidades humanas, e nos transporta até situações limite que geram cenas inesquecíveis. E que dão muito trabalho ao elenco. A direção é de Rafael Gomes e o cenário de André Cortez, que trazem frescor e contemporaneidade ao texto.
Destaque também para a reestreia do Rei Lear, com Juca de Oliveira interpretando o triste rei traído pelas filhas, na tragédia de Shakespeare adaptada por Geraldo Carneiro e dirigida por Elias Andreato. A partir de hoje no teatro Eva Herz, no Conjunto Nacional.
De Paris, chega ao Sesc Pinheiros a companhia Théâtre de la Ville, em sua estréia no Brasil, com os espetáculos “O Rinoceronte” (hoje, amanhã e domingo no Teatro Paulo Autran) e “Ionesco Suite” (sábado e domingo no segundo andar da unidade). O diretor Emmanuel Demarcy-Mota, que comanda a companhia desde 2008, estuda há mais de dez anos a obra de Ionesco, ícone do século 20 e um dos principais nomes do teatro do absurdo. Na verdade, Ionesco usa o absurdo para denunciar a realidade. Por isso, o autor o denominava teatro insólito. Em “O Rinoceronte”, ele aponta a histeria coletiva calcada em ideologia, a que ele assistiu com a ascensão do nazismo. Em “Ionesco Suíte”, diretor e elenco escolheram trechos das peças do autor franco-romeno, desde “A Cantora Careca”, que o tornou conhecido, até “A Lição”. O elenco é de 13 atores, e os espetáculos são em francês com legendas. Aproveitem!
Boa Noite.



Veja minha participação no Jornal da Gazeta

May 29, 2015 |

Televisão

O musical Bilac Vê Estrelas chega do Rio carregado de aplausos e estréia amanhã no Espaço Promon para uma temporada de dois meses. Baseado em livro de Ruy Castro, o espetáculo é centrado no Rio da belle époque. Tem texto de Heloisa Seixas e Julia Romeu, música e letras de Nei Lopes e direção de João Fonseca. A trama é cômica: Bilac tenta impedir que uma espiã portuguesa roube o projeto de um dirigível, criado por José do Patrocínio. No elenco, André Dias, Amanda Acosta, Sergio Menezes e mais grande elenco.
Outra novidade no teatro é a montagem “Esplêndidos”, de Jean Genet, nova empreitada do Grupo Tapa, no Teatro Aliança Francesa. Com direção de Eduardo Tolentino, a peça conta a história de sete gângsteres, cercados em um prédio, que buscam maneiras inusitadas de escapar da situação.
O Festival Internacional Sesc de Circos ocupa, desde ontem, e até o dia 7, 15 endereços do Sesc em São Paulo, Osasco e Santo André. Entre os convidados, grupos e personalidades circenses da Colômbia, Canadá, Suécia, Suíça, Espanha, Itália, Portugal, França, Argentina, Uruguai, Estados Unidos e Palestina. E grupos brasileiros de vários estados. Ao todo são 28 espetáculos. Mais informações e inscrições para aulas e debates em circos2015@sescsp.org.br.
O Mozarteum traz para a Sala São Paulo, nos dias 2 e 3 a Orchestre de Pau, dirigida pelo jovem francês Fayçal Karoui, que também dirige a orquestra do New York City Ballet. Os 70 jovens integrantes tocarão obras de Mozart, Tchaikovsky, Bizet e Rimsky Korsakov. A solista convidada é a também francesa e igualmente muito jovem violinista Saténik Khourdoian.
Finalmente, quem passar pelo aeroporto de Congonhas, de 3 a 22 de junho terá, a cada dia, um show diferente de música instrumental. A abertura é com o guitarrista Faiska, e segue com outros destaques, como o trompetista Autin Roberts, Elas Quarteto, Baião de três, num total de 40 atrações. Aproveitem!
Boa Noite.


Veja minha participação no Jornal da Gazeta

May 22, 2015 |

Televisão

A aguardada exposição “Joan Miró, A força da Matéria”, será aberta domingo para o público no Instituto Tomie Ohtake. São 41 pinturas, 22 esculturas, 20 desenhos, 26 gravuras e 3 objetos, além de fotos, que registram a trajetória do pintor catalão, um dos grandes mestres da arte do século 20. As peças pertencem à Fundação Joan Miró, de Barcelona, e a coleções particulares. De São Paulo, onde fica até agosto, a mostra segue para Florianópolis.
Baseado no filme “8 e meio”, de Fellini, a montagem “Nine – Um Musical Felliniano” faz sua estreia na capital paulista, amanhã, no novo Teatro Porto Seguro. No elenco, Beatriz Segall, Mayana Moura e Totia Meireles, entre muitos outros. A peça é dirigida por Charles Möeller e Claudio Botelho e, como o filme, conta a história de um diretor de cinema, em crise criativa.
No Anhembi, amanhã e depois, Luís Carlos Miele e João Marcello Bôscoli apresentam o espetáculo que comemora os 70 Anos de Elis Regina. Em formato especial, os dois vão contando histórias da cantora, enquanto alguns dos compositores que ela gravou interpretam canções. Confirmados, Renato Teixeira e João Bosco. A produção ainda traz uma exposição de fotos e um vídeo inédito de Elis, parte de um documentário com estreia prevista para o segundo semestre.
E quem passa em frente à construção do novo Instituto Moreira Salles, na Avenida Paulista, já consegue perceber as estruturas de aço ultrapassando o tapume. A estrutura será recoberta de vidro no final. O projeto é do escritório de arquitetura Andrade Morettin, e a inauguração está prevista para 2017. A obra está sendo documentada pelo fotógrafo alemão Michael Wesely, que já fez o mesmo com a Potsdamer Platz, em Berlim, e a ampliação do MoMA de Nova York. Suas câmeras estão voltadas para a construção, tirando fotos dos vários estágios. Depois ele as monta como um filme.
Boa Noite.