Veja minha participação no Jornal da Gazeta

November 24, 2017 |

Televisão

Muitas novas e interessantes exposições em São Paulo! Uma delas é a Ocupação do Itau Cultural em homenagem a Nise da Silveira, a brasileira que revolucionou a psiquiatria através da arte. Abre amanhã em dois andares do edifício. O público poderá conhecer, através de documentos, filmes, fotos, cartas, a grandiosidade deste trabalho, reconhecido no mundo todo, e que ainda gera resultados, através do ateliê do Museu de Imagens do Inconsciente. Nise era chamada de rebelde, até suas terapias ocupacionais serem reconhecidas por Jung, que virou seu amigo e interlocutor. Há um vídeo deles juntos num congresso em Zurique, em 1957. Ao lado da parte documental há uma mostra da arte realizada pelos pacientes do Museu do Inconsciente.
Ainda na Avenida Paulista, o Instituto Moreira Salles realiza neste fim de semana o Festival ZUM. Apresenta a coleção Steidl, doada recentemente ao IMS. O próprio Gerhard Steidl, dono de importante editora alemã de livros fotográficos, falará sobre este acervo. Além das exposições, haverá debates entre escritores, artistas, fotógrafos e cineastas. Entre eles, o americano Teju Cole, o suíço Yann Gross, as brasileiras Claudia Andujar e Berna Reale.
O Instituto Tomie Ohtake abre amanhã uma grande mostra de Julio Le Parc, um dos inventores da arte cinética. A retrospectiva foi organizada pelo Museu Perez de Miami. São mais de 100 obras, escolhidas pela mesma curadora Estrellita Brodsky. De trabalhos sobre papel a grandes instalações de luzes e efeitos, que o público vai adorar. O argentino Le Parc tem quase 90 anos, e vive em Paris onde ainda produz. Teve várias passagens pelo Brasil, inclusive como professor.
Também amanhã, a Pinacoteca abre três novas mostras: uma série de fotos de Caio Reisewitz, um conjunto de pinturas de Dora Longo Bahia e videoinstalações do artista belga David Claerbout.
A Galeria Millan acaba de abrir duas exposições: na sede, uma retrospectiva da obra poético/visual de Décio Pignatari, um dos pais da poesia concreta no Brasil. No Anexo, a nova produção de Lenora de Barros. E a Galeria Luisa Strina apresenta os trabalhos mais recentes de Fernanda Gomes, brasileira de transito internacional. Boa Noite.


Nenhum comentário.

Deixe seu comentário: