Veja minha participação no Jornal da Gazeta

December 22, 2017 |

Televisão

A temporada de música erudita de 2018 será tão boa quanto as anteriores. A Cultura Artística anunciou dez concertos entre março e novembro, divididos pelas suas duas séries de assinaturas, Branca e Azul. As duas grandes orquestras, a da Suisse Romande e a Filarmonica de Dresden tocarão para as duas séries. A série azul terá o pianista canadense Jan Lisiecki, o conjunto de cordas Les Violons du Roy, o Quarteto Modigliani e a Orquestra de Câmara de Viena. A série branca terá a Camerata Salzburg, a Geneva Camerata, a pianista chinesa Yuja Wang e o duo formado pela violinista alemã Carolin Widmann e o pianista russo Denis Kozhukhin. Ainda há ingressos à venda para todos os concertos.
A Osesp apresentará 32 diferentes programas, num total de 112 concertos sinfônicos. Muitos deles gratuitos ou a preços reduzidos. Entre os destaques da temporada 2018 está a série integral das sinfonias de Beethoven, uma série dedicada a Rossini e a série Stravinsky Essencial, com seus três grandes balés. A Osesp será comandada pela regente titular Marin Alsop e maestros convidados como Giancarlo Guerrero, Markus Stenz e Alvo Volmer. Entre os solistas, os pianistas Nikolay Luganski, Gabriela Montero e Marcelo Bratke; e os violinistas Pekka Kuusisto e Ning Feng.
O MASP anuncia nove mostras, entre coletivas e individuais, produzidas na casa. Os 130 anos da Lei Áurea impregnam todas, já que o Brasil recebeu cerca de 40% dos africanos escravizados e foi o último país das Américas a abolir a escravatura. Teremos a exposição Histórias Afro-Atlânticas e mostras de Aleijadinho, Maria Auxiliadora, Emanuel Araujo, Rubem Valentim e Pedro Figari.
E o teatro começa o ano quente, com a estréia de Luíza Tomé, Letícia Birkheuer e Priscila Fantin interpretando avó, mãe e neta na peça Além do que os Nossos Olhos Registram, dia 19 de janeiro no Teattro J. Safra. O texto de Fernando Duarte, dirigido por Fernando Philbert, vai da comedia ao drama, sobre três mulheres que podem se abrir umas com as outras, e deixam escapar resquícios de racismo e de preconceito homofóbico.
A partir do dia 18, Outra boa estréia junta Renato Borghi e Mitriam Mehler no palco do Sesc Ipiranga. Ambos com 80 anos, se reencontram para um releitura de Romeu e Julieta, celebrando os 60 anos de teatro da dupla. A direção é de Marcelo Lazzaratto. Só pode ser bom. Aproveitem as dicas do ano novo, Boa Noite e bom Natal.


Nenhum comentário.

Deixe seu comentário: